Como ser um advogado empresarial: requisitos e conselhos

Como ser um advogado empresarial: requisitos e conselhos

A especialização em qualquer um dos ramos do Direito é fundamental para que o advogado ou futuro advogado ofereça aos seus clientes um atendimento diferenciado. Se quer saber como ser um advogado empresarial, detalhamos os segredos para o desenvolvimento da sua carreira nesta especialidade.

As funções do advogado empresarial

O  procurador recluso é um advogado experiente com vocação generalista capaz de resolver e aconselhar uma empresa nas diversas questões com que se confronta no ambiente competitivo e em constante mudança, que vão desde contratos comerciais, direito societário, direito falimentar, civil e criminal responsabilidade ou conformidade criminal.

Confira também – 5 dicas para escolher um bom advogado

Especialização em Direito Empresarial

Para ser advogado empresarial, o primeiro passo é cursar Direito. É a carreira que dá acesso ao mestrado em Consultoria de Negócios (embora possa ser acessado excepcionalmente em outros cursos) que proporciona as competências, habilidades e conhecimentos necessários.

Durante a Licenciatura em Direito, os futuros advogados ira abordar diferentes aspectos da esfera jurídica que afeta uma empresa em áreas como o Direito Comercial, Fiscal ou Penal. O conjunto normativo que diz respeito às empresas é muito amplo e abarca diferentes áreas da sua atividade, pelo ser importante para o profissional que pretende exercer a advocacia empresarial aprofundar-se nestes ramos específicos através de alguns dos cursos de especialização e pós-graduação.

Atualmente, as universidades oferecem um catálogo variado de especializações que permitem ao estudante de Direito ou advogado em exercício se aprofundar no Direito Empresarial, como Assessoria Jurídica Empresarial, Direito Penal Econômico ou Comércio Internacional.

Como ser um bom advogado empresarial

Quanto às qualidades e ferramentas que farão do profissional um bom advogado empresarial, como nas demais especialidades, a motivação e a capacidade de negociação serão essenciais para a resolução dos processos e o sucesso da relação com os clientes. 

Além disso, será necessário um elevado nível de responsabilidade, capacidade de análise e argumentação, bem como capacidade de persuasão e negociação aliada à visão estratégica, visto que um bom advogado é aquele que, além de resolver os conflitos que surgem o cliente consegue evitá-los.

Para exercer a advocacia empresarial é necessário valorizar qualidades e ferramentas que farão sobressair o seu trabalho: desde a capacidade e agilidade na tomada de decisões, à discrição e paciência para lidar com questões problemáticas num ambiente de pressão e ‘stress’ diário. 

Também exigirá ser metódico e ordenado com toda a documentação escrita e manuseada para cada cliente, pois em alguns casos serão informações confidenciais. Em alguns casos, essas qualidades e ferramentas surgem naturalmente, mas nunca é demais trabalhar nelas e aprimorá-las para garantir um melhor desempenho no trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *