Categoria: Dicas

Você sabe da importância das redes de proteção?

Não é incomum vermos notícias nos jornais de crianças que acabaram se acidentando e até perdendo a vida por quedas de janelas e sacadas/varandas dos apartamentos ou casas altas nas quais moravam, isso mostra a importância das redes de proteção em sp.

Em um segundo que seja de distração, o pior pode acontecer e as consequências estão longe de serem agradáveis.

No último ano, cerca de 612 crianças menores de 14 anos foram internadas por quedas de janelas de prédio, conforme dados do Ministério da Saúde. E isso considerando apenas os atendimentos realizados no SUS (Sistema Único de Saúde). Ou seja, esse número pode ser bem maior, se incluir os atendimentos em hospitais particulares.

Por essa razão, muitos especialistas em segurança falam da necessidade e da importância das redes de proteção para evitar que as crianças sofram quedas, especialmente em prédios. O uso dessas redes ajuda a impedir que os pequenos ultrapassem o limite das janelas ou subam no parapeito das sacadas/varandas.

Qual a importância das redes de proteção?

Só quem tem filhos pequenos e mora em apartamento ou casa alta, sabe que o menor dos descuidos pode se transformar em sérios problemas, uma vez que espaços abertos oferecem risco de queda.

Se para os adultos, os riscos de acidentes por estar perto de janelas e sacadas já são grandes, imagina para as crianças. Não é mesmo?! Estes que geralmente são imprevisíveis e muito agitados, principalmente quando estão brincando.

A importância das redes de proteção está exatamente em sua funcionalidade, que é resguardar e proteger as crianças, para que não sofram quedas e se machuquem. Ao revestir as janelas e outros espaços abertos do apartamento/casa, indiferente do cômodo (é aconselhável que seja instala em todos), a segurança da sua família é garantida e você fica mais tranquilo quando estiver ausente.

As redes de proteção proporcionam técnicas modernas de proteção, utilizando materiais de primeira qualidade, e assim diminuindo a periculosidade do ambiente para as crianças. Em geral, são fabricadas de monofilamentos de polietileno ou poliamida (Nylons) torcidos, ambos com filamentos de alta densidade.

Tratamentos contra os raios ultravioletas e outras ações do clima, evitando o envelhecimento precoce do fio. A instalação é realizada com ganchos de aço zincados ou inox para buchas nº 8, e o espaçamento máximo entre os ganchos de fixação deve ser sempre em torno de 30 cm cada.

É preciso entender qual a importância da instalação das redes

Após o caso de uma menina de um ano brincando do lado de fora do parapeito da janela, repercutir na internet, muitos pais abriram os olhos para a importância das redes de proteção. A menina somente não caiu, porque a janela em questão possuía rede de proteção instalada, porém, a situação poderia ser outro caso não tivesse.

Pensando em alertar a população para a necessidade de fazer a segurança dos apartamentos e evitar acidentes, o programa Fantástico, da emissora Globo, fez uma reportagem falando sobre a importância das redes de proteção e a sua instalação.

Através de testes de qualidade, realizados no laboratório de uma empresa fabricantes de redes, a reportagem mostra quais os pontos de segurança que precisam ser levados em consideração na hora de escolher uma rede de proteção.

E também citou algumas recomendações que os moradores devem observar para que a rede cumpra rigorosamente a sua função de manter a segurança dos ambientes.

Quais os testes foram feitos?

Os testes realizados foram: resistência e projeção de peso.

  • Resistência: conforme prevê a norma que regem a fabricação das redes de proteção, ao ser esticada, cada malha deve suportar 50kg. E após o período de uso, pelo menos 32kg.
    Ou seja, se a rede suportar abaixo desses valores, não é de boa qualidade.
  • Projeção de peso: a projeção do peso equivale a resistência da malha. Assim como também prevê a norma, se a rede suporta 50kg, deve sustentar a projeção de uma pessoa de aproximadamente 80kg em uma velocidade de até 8km/h.

Em resumo, a rede de proteção deve atender esses dois pontos para garantir a segurança e
assim evitar os riscos de queda.

Recomendações de segurança

Veja abaixo as recomendações dadas pelo especialista em redes de proteção, para manter os ambientes seguros e as redes sempre funcionais.

  • Ganchos abertos: é preciso verificar sempre se os ganchos estão bem presos e fechados, não possibilitando a abertura lateral da rede;
  • Substituição: os fabricantes recomendam a substituição da rede de proteção a cada 5
    anos;
  • Verificar resistência: é aconselhável fazer um teste de resistência na rede, puxando as
    malhas, para ter certeza de que elas estão fortes e não irão romper. Caso rasgue, é hora de
    trocar;
  • O espaço entre os ganchos: observe se o espaçamento entre os ganchos não está grande demais. O ideal é que distância seja de até 35cm. Maior do que isso e há a possibilidade de uma criança passar pela abertura;
  • O espaço das malhas: a malha da rede de proteção deve ser de, no máximo, 5cm.

Você sabe o que é SMTP? Leia este artigo e fique por dentro!

É comum que haja diversos questionamentos sobre o SMTP, sendo assim, você está no artigo certo, pois aqui abordaremos sobre o que se trata esse assunto de maneira simples e clara!

A carta precisa seguir algumas regras de padronização, certo? Desde o remetente até o seu destinatário e isso não é diferente com os e-mails, o que prova que o mundo online é bastante similar com a realidade.

O e-mail também segue protocolos, desde quando o botão “enviar” é clicado, até o momento em que ele encontra o seu destino.

Mas como é que isso se relaciona com o SMTP?

O SMTP, Simple Mail Transfer Protocol, ou Protocolo de Transferência de Correio Simples, é responsável por padronizar dados que identificam cada e-mail e o caminho que será percorrido.

Ou seja, o e-mail para ser entregue de forma íntegra, segura e sigilosa deve ser o SMTP.

Já é possível entender um pouco sobre o SMTP, não é mesmo? Continue acompanhando o artigo atentamente para saber mais informações sobre esse assunto.

Boa leitura!

Fonte: Site de mensagens megafrases

Como funciona o SMTP? Entenda!

Não há muita complexidade para entender o funcionamento do servidor SMTP.          

Saiba que quando alguém escreve um e-mail e clica para enviá-lo, todas os dados referentes a ele serão entregues para o SMTP.

É nesse momento que o servidor irá realizar a adequação do conteúdo recebido aos padrões exigidos pelo protocolo de transferência de e-mail e irá fazer o encaminhamento pela internet.

Esse processo é muito similar ao procedimento feito por um carteiro ao recolher as correspondências que precisam ser enviadas.

Eles fazem toda organização, de acordo com o destino, e identificam esses pacotes seguindo as regras exigidas pela companhia.

Desta maneira, os malotes acabam sendo enviados para os transportes, até que chegue ao ponto de controle, que é a empresa responsável por finalizar a entrega.

Já no caso do e-mail esse papel será feito por um servidor chamado de POP/IMAP, que pegará todas essas mensagens recebidas na internet e as enviará até as caixas de destinatários.

É tudo muito parecido com a vida de um carteiro, contudo, de maneira digital e dentro de poucos segundos.

O e-mail não pode ser enviado sem servidor SMTP

Entenda que o servidor SMTP é que garante que o seu e-mail será enviado da forma que você deseja, ele tem a responsabilidade de cumprir a função de intermediação.

É o SMTP que verificará todos os requisitos de envio, garantindo que a mensagem seja entregue em sua totalidade para a pessoa correta e dentro do menor tempo possível.

Agora que você já leu o artigo do nosso blog e está por dentro do assunto, não deixe de compartilhar essa informação em suas redes sociais!

Para que serve a tabela FIPE e qual é a sua importância

A tabela FIPE é um instrumento indispensável para quem deseja comprar ou vender o seu veículo usado. Afinal, contribui para as negociações, sobretudo no que diz respeito ao valor real do veículo.

No entanto, o que muitas pessoas não sabem, é que ela não garante que o preço estipulado seja o mesmo do fechamento do negócio. Ao longo deste post você poderá compreender melhor esse tipo de informação e ainda descobrir qual a verdadeira importância dessa tabela. Confira:

Tabela FIPE: o que é

A tabela FIPE é um método de precificação amplamente utilizado no processo de avaliação e negociação de veículos. Os dados da tabela são mensalmente divulgados e atualizados, pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), entidade responsável pelo levantamento de informações desse setor no mercado.

Nela estão expressos os valores médios em reais, dos preços de automóveis, de acordo com a sua marca, ano e modelo. É importante destacar, que essa tabela não avalia quesitos como:

  • Quilometragem do veículo
  • Estado do automóvel
  • Cor
  • Acessórios do veículo
  • Região

Isso faz com que o processo de precificação do veículo com base nessa tabela, ocorra de modo totalmente imparcial, o que proporciona mais transparência e segurança no momento da comercialização do automóvel.

Afinal, para que serve a tabela?

De maneira geral, essa tabela é considerada como o primeiro passo para a negociação ou até mesmo avaliação de um veículo usado. É por meio dos dados obtidos com a tabela, que será dado o início para a compra ou venda dos automóveis.

Os valores da tabela são definidos de acordo com os preços dos mais diversos veículos do mercado, sejam eles novos, seminovos ou usados. É justamente por isso que ela é usada como uma referência para os vendedores.

Mas atenção! O valor definido para o veículo que se deseja comprar ou vender não é estipulado com base apenas nisso. Pelo contrário, para precificar um veículo é necessário levar em consideração outras variações que não estão inseridas na tabela.

A verdadeira importância da Tabela FIPE

A tabela FIPE é de suma importância para a comercialização e negociação de veículos em todo o país. Afinal, sem ela seria praticamente impossível estipular um preço justo a um veículo seminovo ou usado.

Desde quando foi criada, em 1973, ela tem sido amplamente utilizada por instituições financeiras, seguradoras e até mesmo por motoristas que não possuem base de preço no segmento automotivo.

Devido a ela, tornou-se mais prático e seguro estipular preços de venda e compra de veículos, de acordo com as suas especificidades e avaliação de mercado. A sua importância é tamanha que o indicador da tabela também é usado como base para o cálculo de impostos como o IPVA e para as parcelas de seguro dos carros.

Como usar a tabela Fipe

Mas como usar essa tabela tão importante para negociações de veículos? É simples, tudo que o interessado na compra ou venda de veículos precisa fazer é acessar o site do Instituto e fazer a pesquisa gratuita dos melhores preços do mercado para os carros usados, seminovos ou novos.

Para isso, o site irá exigir que sejam inseridas algumas informações sobre o veículo, tais como:

Tipo do veículo: Caminhão, moto ou carro

  • Ano de Referência
  • Modelo
  • Marca
  • Ano de Fabricação

É com base nessas informações que o sistema irá apresentar as importâncias, em reais, de cada tipo de veículo. Com base nelas, será possível iniciar qualquer tipo de negociação de compra ou venda de veículos, independente da sua condição.

Usar a tabela FIPE no momento da negociação de um automóvel, é uma das principais garantias de que se está realizando uma boa venda ou compra. Afinal, seus preços são elaborados de maneira imparcial, de acordo com as reais necessidades e demandas do mercado.

Esse parâmetro é tão seguro e eficaz, que até mesmo as grandes instituições financeiras e seguradoras do país a utilizam como base de precificação dos seus serviços e produtos.

Por essa razão, se você está pensando em vender ou comprar um veículo opte por acessar o site oficial da fundação e realizar uma pesquisa prévia sobre o valor de mercado que esse veículo possui no mercado.