Autor: Gbriel

O que faz um advogado criminal?

É provável que em algum momento de sua vida você se encontre em uma situação em que precise entrar em contato com um advogado, mas se não tiver certeza de que tipo de advogado precisa, a busca pode ser complicada. Para que você possa se concentrar e saber qual assessoria jurídica precisa em todos os momentos, revisaremos um dos ramos mais comuns do direito em nossos tribunais, o direito penal. Descubra o que faz um advogado criminalista e como escolher um profissional desse tipo.

O que é direito penal?

O direito penal é um dos principais ramos do direito que trata de todos os crimes aos quais pode ser aplicada uma pena ou medida de segurança. Ou seja, estamos nos referindo a todos os casos que podem ser punidos. Para tanto, essa disciplina é regida pela legislação contida no código penal, que estabelece os elementos que constituem o crime e as sanções que devem ser aplicadas.

O trabalho de um advogado criminal

O advogado criminalista atua em qualquer processo penal que diga respeito a um crime , tanto do lado da parte que o sofreu como da parte que o cometeu. O seu âmbito de ação é o tribunal penal, o tribunal provincial e o tribunal nacional.

Compete-lhe exercer, portanto, a defesa da parte afetada, apresentando a denúncia correspondente ao crime em questão e figurando como denúncia. Embora também possa ser colocado no lado oposto, desenvolvendo um processo de defesa focado em obter reduções de sentenças e chegar a acordos legais.

Os casos que você enfrenta podem estar relacionados com a propriedade ou com crimes contra as pessoas e a vida. Tais como fraudes, sequestros, homicídios, lavagem de dinheiro ou tráfico de drogas, para citar alguns

Você pode se interessar também: 7 Dicas para contratar seu advogado de família

Casos comuns que precisam de processo criminal

Para focar mais na figura desse perito jurídico, podemos revisar os principais crimes que integram o código penal e que estão entre os mais comuns em escritórios de advocacia criminal especializados.

  • Crimes contra as pessoas e a vida: homicídios, assassinatos ou tráfico de pessoas.
  • Crimes contra a propriedade: apropriação indébita, furto ou furto.
  • Crimes econômicos: fraude, lavagem de dinheiro ou fraude.
  • Crimes contra a Administração.
  • Crimes contra a segurança pública.
  • Crimes contra a saúde pública
  • Crimes trabalhistas.
  • Crimes sexuais.
  • Cibercrime.

Tipos de advogados especializados em direito penal

De acordo com o código penal, muitos crimes podem ocorrer e precisam ser punidos com pena. Mas não é por isso que existem advogados especializados em cada um dos crimes. No entanto, existem alguns advogados que vão além, concentrando seu trabalho em casos mais específicos, como os seguintes profissionais:

  • Advogados especializados em Direito Penal Econômico.
  • Advogados especializados em Direito Penal Internacional.
  • Advogados criminais de autoria.
  • Advogados especialistas em direito penal tecnológico.

Dicas para escolher um advogado criminal

Cada mestre tem seu próprio truque. Como se costuma dizer, se necessita de aconselhamento jurídico em matéria penal, o melhor é sempre contactar um advogado especializado no assunto em vez de um generalista. 

Estas são as pistas que podem indicar que está perante um bom advogado especializado em direito penal ou o que deve procurar.

  1. Deve ser um profissional acessível e que traga confiança. Você vai depositar cegamente seu caso com essa pessoa, então ela deve lhe dar segurança e ter certeza de que é o especialista certo.
  2. Claro, ele deve estar registrado na Ordem dos Advogados, caso contrário, ele não poderá defendê-lo ou representá-lo em tribunal.
  3. Encontre um advogado que esteja acostumado a lidar com casos semelhantes ao seu. Quanto mais especializado você for, melhor.
  4. Confie nas avaliações, recomendações e opiniões de outros clientes. Eles são a melhor garantia de que você está lidando com um bom profissional.
  5. Peça-me para lhe mostrar histórias de sucesso nas quais eles trabalharam anteriormente para verificar suas realizações.

Como você pode pedir o divórcio do exterior?

O número de divórcios em nosso país tem crescido exponencialmente nas últimas décadas, sendo um fato que se repete cada vez com mais frequência. Estas rupturas conjugais significam que, na maioria dos casos, o processo de divórcio é processado para resolver questões como a autoridade parental, a atribuição do uso da casa, a tutela e guarda dos filhos, o regime de visitação ou a pensão de alimentos e / ou compensatória se for caso disso, a intervenção de advogado e solicitador é obrigatória em qualquer caso.

Embora seja comum ambos os cônjuges irem residir na mesma cidade após desentendimentos conjugais, não é menos frequente que, devido a circunstâncias pessoais ou de trabalho, um dos cônjuges se mude para outra cidade ou mesmo para o exterior. Vejamos o exemplo do casal que decide se divorciar e um dos cônjuges, por motivos de trabalho, tem que ir residir em uma cidade estrangeira, sem ter ainda iniciado nenhum processo de divórcio. O que essa pessoa deve fazer para evitar que se mude para a cidade onde está localizado o foro competente para conhecer da questão?

Em primeiro lugar, como poderia ser diferente, para que o divórcio à distância possa ser divorciado é necessário que a tramitação não se processe de forma contenciosa, mas antes que seja consensual entre os cônjuges. A par deste requisito, é também necessária a intervenção de advogado e solicitador, que, nestes casos, assume especial relevância como iremos explicar a seguir.

Procuração com poder especial em favor do procurador

Assim que o acordo regulamentar tenha sido redigido por advogado especialista que assistiu os dois cônjuges, ou feito por dois advogados que defendem os interesses de cada um dos membros do casal separadamente, mas desde que haja acordo; o cônjuge que se encontre no exterior, deverá outorgar procuração ao procurador com poderes especiais para ratificar o referido acordo no foro competente. Isso implica que é o procurador que comparece ao dia da homologação, em nome do representado, para dar consentimento ao estipulado no contrato. Daí sua importância neste procedimento.

Saiba mais sobre Homologação de Sentença Estrangeira e o que precisa ser feito.

A procuração pode ser realizada tanto em Tabelião Público no país estrangeiro, neste caso é necessário que a mesma esteja devidamente legalizada e traduzida se for em outro idioma, bem como no Consulado Espanhol correspondente. É aconselhável habilitar mais de um procurador para evitar problemas futuros, caso um deles não possa comparecer ao tribunal no dia da homologação. O cônjuge que estiver ausente, também deve assinar, perante o Notário ou Cônsul, o acordo regulamentar que conterá os acordos previamente firmados.

Logicamente, além de incluir na procuração o poder especial a favor dos procuradores para que ratifiquem o acordo , o mesmo deverá ser incorporado à escritura pública, sendo assim protocolado.

Aplicação e ratificação

Quando o poder de procuração tenha sido preparado , ele será enviado para o advogado ou advogados, como é necessário anexá-lo ao pedido , juntamente com outros documentos, tais como as certidões de nascimento dos filhos, certidão de casamento, o acordo de regulamentação próprio ou outros que sejam considerados adequados.

Uma vez ajuizada a reclamação na parte judicial competente, o tribunal exigirá que os cônjuges, mediante notificação ao procurador, compareçam a ele para  homologar o acordo.

Caberá o cônjuge que resida no território do juízo e o procurador, em nome do outro titular, aqueles que comparecerem no dia indicado para ratificar o acordo. No próprio tribunal, será mostrado o acordo regulamentar e será questionado se concordam com o que está estipulado no mesmo, procedendo-se à assinatura, se tudo estiver em ordem.

Conclusões

Neste artigo, deixamos claro que é perfeitamente possível se divorciar remotamente. Embora o exemplo dado indique uma situação em que um dos cônjuges se encontra fora do território espanhol, também é possível que seja realizado no mesmo território, embora neste último caso possa ser feito por exortação de outrem.

Porém, não devemos esquecer os detratores dessa ideia -que existem-, isto é, aqueles que defendem e consideram que diante de um ato muito pessoal como o que comentamos, ou como poderia ser o de casar, é só deve ser realizada pelo interessado, não podendo ser atribuída competência a um terceiro para a sua realização. Mas, em caso afirmativo, quanto tempo levaria para finalizar um procedimento em que há acordo entre as partes? Não é uma forma de agilizar o trâmite de um procedimento aparentemente simples? Como em tudo, para saborear as cores.

Sete passos a seguir antes de comprar uma casa

Você já se decidiu, tem algumas economias, fez números e vai entrar numa das aventuras mais importantes da sua vida: comprar uma casa. Mas ao começar você percebe que não é tão simples quanto você imaginou.

Para ajudá-lo nesse processo, sugerimos que siga estas sete etapas.

Indicamos também que você entre em contato com um advogado imobiliario para te auxiliar na aquisição do seu imóvel.

Sete passos a seguir antes de comprar uma casa

1. Seja claro sobre o que você deseja. 

Parece óbvio, mas não é. Antes de embarcar em um projeto como este, você deve refletir sobre quais são suas necessidades, presentes e a médio prazo, e também sua real capacidade de satisfazê-las. Suas possibilidades dependerão das opções que encontrar e do orçamento de que dispõe.

2. Contar com o apoio de profissionais para encontrar a casa que deseja. 

É difícil cobrir todas as possibilidades que o mercado oferece. Quanto mais você limita sua pesquisa, menor é a probabilidade de encontrar a melhor casa. Possui profissionais do setor imobiliário para ter maior segurança quanto às características dos imóveis e acessar uma oferta mais ampla.

3. Uma vez escolhido, descubra qual é a situação da moradia. 

Devemos saber muito bem o que estamos comprando: se tem ónus financeiros, problemas de propriedade ou defeitos. Por isso recomendamos que se dirija ao Cartório de Imóveis, ao Cadastro ou mesmo à Câmara Municipal para conhecer a sua situação. É fundamental que você obtenha todas as informações sobre as condições, a gestão envolvida e as obrigações e despesas em que incorrerá.

4. Informe-se sobre todos os procedimentos que você terá que fazer e as despesas que você terá que enfrentar. 

A complexidade dos procedimentos administrativos e as despesas a pagar dependerão do tipo de moradia que comprarmos. Não é a mesma coisa comprar uma casa usada como uma nova. Em qualquer uma delas deverá informar-se bem para ter clareza sobre os passos a seguir e os pagamentos que terá de efetuar.

5. Conheça o seu verdadeiro valor. 

Antes de definir o preço, devemos verificar se o que vamos concordar não está acima do mercado. Lembre-se de que, ao solicitar uma hipoteca, eles a concederão com base no seu valor real e não no acordado. Imaginemos que aceite pagar 120.000 euros por um apartamento e posteriormente uma avaliação profissional determine que o seu valor é de 100.000 euros. Se, por exemplo, o banco lhe conceder uma hipoteca sobre 80% do seu valor, pode contar com 80.000 euros.

6. Estude que tipo de hipoteca lhe interessa. 

Hoje você pode escolher entre hipotecas de taxa fixa, variável ou mistaNo primeiro caso, pagaremos sempre a mesma taxa. No segundo, vai depender da evolução do indicador. Nas hipotecas mistas, os primeiros anos são com taxa fixa e o resto, com taxa variável.

7. Escolha o seguro residencial que melhor se adapta às suas necessidades

É importante saber a diferença entre seguro multirriscos e seguro residencial mínimo. O primeiro geralmente é recomendado para residências com joias, antiguidades, móveis de alto valor ou obras de arte. O segundo é muito mais básico, mas cobre incêndios, encravamentos de canos, roubos e roubos. Uma vez que ambos são analisados, o importante é escolher o que realmente precisamos.

O que é economia sustentável?

Imaginamos que nos últimos anos você tenha ouvido e lido esse conceito em inúmeras mídias. Mas o que é desenvolvimento econômico sustentável? A economia sustentável, também chamada de desenvolvimento sustentável, duradouro ou sustentável, é um sistema socioeconômico que busca aumentar o bem-estar social promovendo o consumo responsável por meio da implantação de um sistema financeiro baseado em empresas que respeitem o meio ambiente e estejam comprometidas com a sociedade. 

Seu principal objetivo é reduzir a pobreza e garantir um desenvolvimento de qualidade para as gerações presentes e futuras, sem comprometer os recursos do planeta, ou seja, sem consumir mais do que a natureza pode produzir.

A primeira redação institucional em que surgiu o termo desenvolvimento sustentável, ou desenvolvimento sustentável, foi o relatório elaborado em 1987 pelas Nações Unidas, no âmbito de uma comissão chefiada pela Dra. Gro Harlem Brundtland e intitulado Nosso Futuro Comum, também conhecido pelo nome de Brundtland Relatório. Esse estudo essencial tem sido a semente de futuros trabalhos sobre as prioridades do planeta, como a incorporação desse conceito em todos os programas da ONU; além de ser o eixo de grandes marcos do século 20 como “A Cúpula da Terra” ou “Cúpula do Rio”, realizada no Rio de Janeiro em 1992, e do século 21 com a aprovação da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável por parte da ONU. Especificamente, esta agenda tem 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável,

No nosso país, a Comissão de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento das Cortes Gerais lançou um estudo para a definição, elaboração e coordenação da Estratégia Espanhola para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), na qual os especialistas da área têm participaram para enfrentar este importante desafio a nível nacional.

Veja também sobre a sustentabilidade ambiental | Saiba agora mesmo

Características da economia sustentável

O desenvolvimento de uma economia sustentável em qualquer território exige o desenvolvimento de políticas que visem a promoção da utilização de fontes de energia sustentáveis, fomentando a competitividade das empresas verdes e investindo na inovação e no desenvolvimento. 

Por definição “uma economia sustentável é entendida como um padrão de crescimento que concilia o desenvolvimento económico, social e ambiental numa economia produtiva e competitiva, que favorece o emprego de qualidade, a igualdade de oportunidades e a coesão social, e que garante o respeito pelo ambiente. E a utilização racional de recursos naturais, de forma a permitir atender às necessidades das gerações presentes sem comprometer as possibilidades das gerações futuras de atender às suas próprias necessidades ”, de acordo com o artigo 2º da Lei de Economia Sustentável (LES), publicado no BOE em 5 de março 2011. Ou seja, envolve o desenvolvimento de atividades que, juntas, sejam economicamente rentáveis ​​e ambiental e socialmente sustentáveis.

Assim, este sistema socioeconômico é regido pelos seguintes eixos fundamentais: 

  • Proteção ambiental: preservando a biodiversidade do planeta, minimizando os impactos da poluição e combatendo as mudanças climáticas. 
  • Aproveitamento de energias renováveis: promover a utilização de energias alternativas que não poluam e minimizem o impacto no meio ambiente. 
  • Apostar na eficiência: aproveitar ao máximo os recursos que temos e cuidar dos escassos (como a água), o que nos permitirá alcançar mais um dos pilares da sustentabilidade económica, que é a eficiência. 
  • Promoção da reciclagem: estabelecer um modelo de economia circular em que os resíduos gerados sejam aproveitados na criação de novos produtos, reduzindo assim a pegada ecológica do atual sistema de produção. 
  • Limitação de consumo: limitar o uso de recursos renováveis ​​para que eles não sejam usados ​​em uma taxa superior à sua geração. Além disso, os recursos não renováveis ​​devem ser gradualmente substituídos por recursos renováveis. 
  • Melhorar o padrão de vida social: promover, por meio da educação e da inovação, a igualdade entre as pessoas em todos os territórios.

Por que é importante cuidar da sustentabilidade econômica?

O atual modelo financeiro e social está com os dias contados, pois se baseia em um sistema que consome recursos a uma taxa superior à que a natureza pode gerar. Se a energia necessária a uma sociedade provém de recursos não sustentáveis, eles se tornarão cada vez mais caros, em decorrência da escassez, o que pode levar a grandes desequilíbrios geopolíticos e econômicos no médio e longo prazo.

Para se ter uma pequena ideia, de acordo com um estudo publicado pela Global Footprint Network em relação à pegada ecológica para o futuro, os danos ambientais globais custaram cerca de 600 milhões de dólares em 2018, mais de 11% do PIB mundial.

Talvez seja do seu interesse: As empresas de consultoria ambiental estão em ascensão: um relatório de 2020

Exemplos de sustentabilidade econômica 

Alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para 2030 requer não apenas o apoio de governos e instituições, mas também a cooperação de toda a sociedade. 

Entre as medidas que os órgãos públicos podem implementar estão prêmios e subsídios para novos setores econômicos sustentáveis , como energia limpa (eólica, fotovoltaica, térmica, solar térmica) ou o apoio a modelos de negócios verdes. Além disso, devem ser promovidos a reciclagem de todos os tipos de resíduos, a aplicação de técnicas de eficiência e poupança de energia em todas as áreas da economia e a promoção da economia circular, bem como novos modelos de cidade mais sustentáveis. 

Mas, como mencionamos nas linhas anteriores, a sustentabilidade econômica não depende apenas dos governos, mas sua atividade cotidiana pode contribuir para alcançá-la e, sobretudo, a atividade empresarial, capaz de criar uma economia circular que nos envolva a todos como parte do processo., colocando aqueles que têm mais responsabilidades à frente. Em qualquer caso, sua contribuição é essencial. Para isso, você pode desenvolver hábitos como os seguintes: 

  • Aposte na reciclagem. 
  • Compre produtos de comércio justo ou em segunda mão.
  • Reduza o consumo de energia. 
  • Aposte nas marcas verdes.
  • Respeite e cuide do meio ambiente.
  • Colaborar em movimentos sociais e de bairro.
  • Promova a poupança familiar.

Uma forma de começar a colaborar com a economia sustentável é tornar nossa economia doméstica igualmente sustentável e mantida ao longo do tempo. Para isso, é fundamental promover a economia. Se não tivermos um colchão financeiro, qualquer imprevisto do dia a dia pode estragar o orçamento familiar e, portanto, desestabilizar nossas finanças. Para isso, além de iniciar os hábitos de consumo que já vimos, face a qualquer imprevisto financeiro que implique um dispêndio financeiro significativo, é preferível, se não tivermos liquidez suficiente, solicitar o empréstimo pessoal online.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

O uso de energia solar

Todos sabemos que a energia solar é, sem dúvida, uma das energias renováveis ​​mais importantes que existem hoje. Este tipo de energia apresenta-se na Europa e no mundo como uma das alternativas mais sustentáveis, se falamos de produção. Este é um fato conhecido, mas que novas aplicações damos a uma das energias renováveis ​​mais importantes da nossa vida? Se levarmos em conta que o Greenpeace estima que a energia solar fotovoltaica poderá fornecer eletricidade a dois terços da população em 2030, e que o Conselho Mundial de Energia acredita que até o ano 2100 70% da energia consumida será de origem solar . Portanto, vale a pena revisar algumas das aplicações mais benéficas deste renovável. É incentivado ativamente a evolução da Europa para uma sociedade com baixo teor de carbono e atualiza os seus regulamentos para facilitar os investimentos públicos e privados necessários para a transição para energias limpas. Esse processo não deve ser bom apenas para o planeta, mas também para a economia e os consumidores.

Como a energia solar é aplicada nas residências?

A energia solar pode ser usada hoje de muitas maneiras diferentes, no entanto, queremos nos concentrar nos usos que podemos dar em nossas casas e que realmente valem a pena conhecer.

Água quente

Em áreas ensolaradas, como a maioria dos países da América Latina ou Espanha, a energia solar pode ser usada para aquecer água, por meio de coletores solares que geram calor. Neste caso, estamos falando de painéis de energia solar térmica em que a água é aquecida e pode ser utilizada em residências (hotéis e hospitais), para tomar banho ou cozinhar, podendo também ser utilizada para aquecimento.

Eletricidade

Esta é a aplicação mais básica de todas: graças a um painel fotovoltaico, você pode aproveitar a energia do sol para gerar eletricidade. Isso servirá para alimentar, por exemplo, o consumo (ou pelo menos parte dele) de energia em sua casa, seu hotel ou sua empresa. Seu painel pode armazenar o que é gerado nas baterias ou ser conectado diretamente à rede.

Aquecimento e resfriamento solar

Chamamos de ‘ frio solar ‘ o ar condicionado ecológico, que graças ao consumo de energia limpa pode representar uma economia de até 70% de energia. A energia solar é utilizada para produzir este ar condicionado ecológico por meio de dois métodos: é coletada por painéis fotovoltaicos que acionam equipamentos frios, ou por coletores solares que possuem painéis solares capazes de armazenar energia e convertê-la em frio ou calor, dependendo do que for necessário precisa. produzem a energia térmica em baixas temperaturas . Isso para o verão. No inverno, o aquecimento também pode ser solar, como mencionamos na seção anterior: graças aos sistemas solares térmicos, onde a água é aquecida, que pode ser acumulada para aquecimento ou mesmo para piscinas aquecidas. Por outro lado, existem aqueles que têm tudo em um,

Vantagens da energia solar

  • É uma energia renovável
  • Respeitoso com o meio ambiente
  • É um sistema econômico
  • Ideal para sitios retirados
  • É auto-suficiente

Desvantagens da energia solar

  • Custo de instalação
  • O desempenho pode ser ruim
  • É necessária uma instalação adequada
  • Incapacidade de acumular energia
  • Licenças necessárias

7 dicas de ciclismo de estrada que você deve ignorar

Existem muitas dicas quando se trata de ciclismo de estrada, algumas são boas … e outras nem tanto. Existem algumas idéias que você deve ignorar completamente.

7 dicas de ciclismo de estrada que você deve ignorar

1. Você deve encher os pneus o máximo possível

Antigamente, você usava os pneus mais estreitos possíveis e inflava ao máximo. Bem, pensava-se que isso reduziria a resistência ao rolamento.

No entanto, a menos que a superfície seja lisa como uma mesa de bilhar (um velódromo), é melhor usar pneus mais largos com menos pressão. Um bom ponto de partida é 28 a 95 psi.

Pneus mais largos amortecem melhor as imperfeições da estrada e, assim, reduzem a resistência ao atrito. Além de aumentar o conforto e reduzir a possibilidade de furos.

veja também o melhor seguro de bicicletas para você estar protegido a roubo, furtos e perda total.

2. Você precisa comer uma grande quantidade de carboidratos na noite anterior a uma grande caminhada

Comer meio quilo de massa no jantar na noite anterior o deixará com mais energia, mas se essa é a melhor energia é outra questão.

Se você comer grandes quantidades de carboidratos, pode se sentir muito inchado no dia seguinte, pois o corpo não teve tempo de processá-los.

Coma uma boa quantidade, mas com alimentos equilibrados. Dessa forma, você se sentirá mais leve no dia seguinte e não terá que fazer uma parada sorrateira no meio do caminho.

3. Você não deve usar luvas no inverno

O ciclismo está cheio de mitos e um deles é que ficar sem luvas no inverno ajuda a aprender a resistir ao frio.

Claro que isso é puro absurdo. Se você quiser sentir suas mãos, é melhor usar luvas de qualidade.

4. Você tem que abaixar o espigão do selim

Há quem baixe o espigão ao máximo como os profissionais. A realidade é que não somos ciclistas profissionais, que treinam sem parar para fortalecer a região do tronco e melhorar a flexibilidade que lhes permite manter uma postura tão extrema.

Além disso, essa postura extrema pode colocar muita pressão em áreas delicadas de sua anatomia. Role em uma posição mais ereta, você se sentirá mais feliz e mais saudável.

5. Sempre use muito desenvolvimento para aumentar a força das pernas

O uso de grandes desenvolvimentos ajuda, até certo ponto, a aumentar a força nas extremidades inferiores, mas é um método de treinamento que deve ser usado na medida certa.

A menos que você seja um especialista em corrida, o ciclismo é um esporte muito aeróbico, no qual você não precisa de muita força nas pernas. Tentar mover grandes desenvolvimentos coloca uma tensão extra nos joelhos que podem ser feridos.

Use grandes desenvolvimentos lentamente e com moderação.

6. No inverno, treine sempre no mesmo ritmo

Se você passar o inverno sempre no mesmo ritmo, quando a temporada de corridas começar você perderá velocidade.

Hoje, a maioria dos ciclistas também faz treinamento intensivo durante o inverno. Estes são apenas períodos curtos durante a filmagem em grupo ou durante uma sessão sobre os rolos. O essencial é não exagerar. Este treino irá ajudá-lo a manter sua velocidade, então você estará preparado para quando a temporada começar.

7. Manivelas mais longas são melhores

Manivelas mais longas eram consideradas melhores porque davam mais potência. Enquanto as manivelas maiores permitem que você exerça mais força nos pedais, por outro lado, os pés têm um curso maior. Portanto, na prática, o resultado é quase desprezível, você exerce a mesma força a uma taxa um pouco menor. Portanto, a menos que você seja muito alto, não use manivelas mais longas. Para a maioria das pessoas, medidas de 165 a 175 cm são suficientes.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

7 Dicas para contratar seu advogado de família

Hoje queremos falar sobre quais elementos são importantes na hora de contratar um advogado de família. Já escrevemos artigos semelhantes sobre advogados criminais e trabalhistas. E por parecerem úteis, vamos reunir algumas dicas para escolher o melhor advogado de familia.

Esses profissionais são civis que se especializaram na esfera familiar. Com sua experiência, eles podem ajudá-lo em vários tipos de assuntos, como:

  • Casamento e uniões de fato.
  • Separações e divórcios.
  • Filiação, autoridade parental e custódia de menores.
  • Pensão alimentícia e pensões compensatórias.
  • Regimes econômicos matrimoniais.
  • Heranças e sucessões.

O que cada um desses problemas tem em comum? Embora sua regulamentação legal seja muito diversa, acreditamos que eles têm algo em comum: a sensibilidade associada a cada uma dessas reivindicações .

Particularidades do Direito da Família

Assim, o direito da família é o ramo jurídico com maior carga emocional. Quando fazemos uma reclamação, queremos que seja feita justiça, e se exigimos na ordem social, queremos restaurar nossos direitos o mais rápido possível.

Mas as reivindicações na ordem familiar tocam nossa esfera pessoal. Na verdade, em muitas ocasiões, até mesmo ter sucesso com eles é agridoce.

Portanto, o advogado de família não deve ser apenas um advogado absolutamente competente. Você também deve ser um profissional sensível .

Esta dupla necessidade torna difícil encontrar um bom advogado especializado em direito da família. e isso porque:

  • O advogado de família deve ser um bom conhecedor do direito civil . Mas, em geral, você também precisa conhecer outros ramos do direito . Por exemplo, se uma empresa familiar está envolvida no assunto, será sempre útil que você tenha conhecimento de direito comercial . Em muitos casos, há elementos de estrangeiros que exigem o domínio do direito internacional. Elementos tributários também estão freqüentemente envolvidos, por exemplo, quando herdam, se divorciam ou se casam. Em suma, um bom advogado de família é um profissional jurídico com conhecimentos transversais.
  • Em relação ao elemento de sensibilidade, é mais importante do que parece. Por exemplo, os negócios de herança costumam ser momentos muito tensos para a família. Mesmo quando o falecido deixa uma boa vontade e nomeia executores, muitas vezes surgem brigas de família. Você provavelmente deseja que seus direitos de herança sejam respeitados, mas não a qualquer custo. Um bom advogado de família poderá dar a cada pessoa o tratamento de que necessita, reduzindo a tensão e evitando confrontos. O mesmo ocorre nos processos de separação e divórcio , onde a pressão interna pode levar os cônjuges a usarem elementos como guarda ou aposentadoria como arma contra o ex-companheiro.

Veja também – 5 dicas para escolher um bom advogado

7 Dicas para Contratar um Advogado de Família

Aqui estão algumas recomendações que podem ajudá-lo a escolher o profissional certo. Esperamos que eles sejam úteis para você na escolha do advogado de família que melhor se adapte às necessidades de sua situação atual.

1. Especialização e Experiência

Como sempre, recomendamos a contratação de um advogado especializado no assunto quando for necessário defender casos complexos. O ambiente familiar, entretanto, é bastante apropriado para advogados generalistas. Ao escolher entre um ou outro, nossa recomendação seria:

  • Opte por um advogado especializado se precisar ir ao tribunal . A experiência dele em litígios semelhantes aumentará suas chances de sucesso.
  • Escolha um advogado generalista se você pretende desenvolver um relacionamento de longo prazo . Ao conhecer a sua situação pessoal e familiar, o seu advogado passará a ser um profissional de referência que poderá ajudá-lo sempre que surgir uma questão jurídica.

2. Empatia é Crucial

Como já assinalamos, a empatia é uma virtude no campo do Direito da Família. A especialização exigida pela profissão de advogado, bem como o seu alto nível técnico, por vezes, fazem com que os advogados sejam distantes e calculistas.

Esta capacidade de abstração que pode ajudá-lo em questões criminais ou comerciais, não o fará em questões familiares. Para tanto, você precisará de um advogado capaz de entender suas necessidades e também seus sentimentos , bem como dos demais envolvidos.

3. Habilidades Comunicativas

No ambiente familiar, desde que procurem evitar tensões, a habilidade de comunicação será essencial. O seu advogado de família deve poder negociar com solvência, mas também evitar mal-entendidos e facilitar a troca de opiniões.

É importante que um advogado de família não seja apenas confiável, mas também pareça confiável. Sinceridade e realismo ajudarão todas as partes envolvidas a levar em consideração as estratégias e propostas de seu advogado.

4. Orçamento não é tudo

Embora o orçamento seja normalmente um dos elementos determinantes na escolha do nosso advogado, a verdade é que não deve ser o mais importante. Assuntos familiares exigem muita dedicação. E a única maneira de garantir que o seu advogado estará 100% comprometido com o seu caso é reembolsar o compromisso de forma adequada.

Lembre-se de que um bom advogado de família não só será capaz de defender seus direitos e interesses, mas também evitará conflitos entre as partes envolvidas. Então esse é um dos campos onde é mais interessante esticar o orçamento em troca da contratação do advogado certo.

Se quiser evitar surpresas com seu orçamento, solicite uma ficha de serviço antes de contratar seu advogado. Nele, devem ser registrados a natureza da matéria a ser defendida e o tipo de ações que seu advogado irá empreender.

5. Importância da Confiança

Em questões familiares, é de vital importância que confie no seu advogado. Lembre-se de que você deve fornecer a ele todas as informações de que ele precisa para defender seus interesses. Às vezes, isso inclui histórias com as quais nos sentimos confortáveis ​​ou preferimos guardar para nós mesmos.

Ocultar informações do seu advogado é um erro grave. Lembre-se de que os advogados de família não são menos técnicos a respeito da lei. São profissionais empáticos, que além de conhecerem o ordenamento jurídico devem entender suas verdadeiras necessidades. E isso só é possível se eles tiverem todas as informações relacionadas ao assunto.

Se perder a confiança no seu advogado, é melhor procurar outro profissional para defendê-lo. Não tenha pressa em pedir uma segunda opinião quando não tiver certeza se seu advogado está trabalhando corretamente.

6. Acompanhamento do Assunto

Seu advogado de família cuidará de toda a parte técnica do assunto que você colocar em suas mãos. No entanto, é importante que você saiba em que situação seu caso se encontra o tempo todo.

Portanto, um dos elementos mais importantes na escolha de um bom advogado é que ele permite que você monitore constantemente o assunto. A comunicação permanente com o seu defensor é fundamental para estreitar a relação de confiança e garantir o conhecimento do andamento do caso.

7. Preferência por Resolução Extrajudicial

Os canais de reclamação são um assunto muito pessoal. Há os que evitam a todo o custo chegar à via judicial e os que se lançam com clara vontade vingativa. Seja qual for a sua preferência, recomendamos que o seu advogado prefira sair do tribunal .

É verdade que às vezes não há outra opção a não ser ir ao tribunal. Também é verdade que muitos advogados veem esse caminho como uma opção muito mais lucrativa. No entanto, no ambiente familiar é possível chegar a acordos antes de entrar em um tribunal.

Lembre-se de que, no momento em que você entrar com a ação, o juiz ficará encarregado de ditar o destino de sua causa. Isso significa que, na melhor das hipóteses, uma das partes ficará privada do reconhecimento de seus interesses pela autoridade judiciária. 

Na pior das hipóteses, nem mesmo o vencedor terá seus direitos e interesses plenamente reconhecidos. Portanto, a via extrajudicial é mais que recomendada no ambiente familiar. Ele vai liberar tensões, cuidar das relações familiares e, com toda a probabilidade, oferecer soluções melhores do que um juiz pode dar. O fato de seu advogado estar apostando em acordos ao invés de conflitos será uma boa indicação de sua disposição em resolver o seu caso.

O que você faz e como se torna um consultor ambiental?

O que você faz e como se tornar um consultor ambiental. A figura profissional do consultor ambiental é cada vez mais comum no mundo dos negócios. Entre os novos empregos verdes, ele é uma das figuras mais interessantes. Vamos descobrir neste artigo o que exatamente ele faz e como se tornar um.

2020 seria o ano em que os funcionários nos chamados empregos verdes teriam que crescer impulsionados pela força motriz da economia verde. Na verdade, parecia que a sensibilidade às questões ambientais não seria relegada apenas ao debate político. Na verdade, até o mundo dos negócios começou a entender como a sustentabilidade ambiental não era apenas um problema aleatório, mas tinha resultados práticos.

De empresas fósseis. Para as pequenas empresas, desde aquelas que oferecem serviços web a firmas de contabilidade , a gestão sustentável de recursos materiais e energia, combinada com o potencial do marketing verde pode produzir benefícios econômicos tangíveis.

O que são empregos verdes

É claro que o lançamento de novas soluções industriais e de gestão mais sustentáveis ​​exige um profissionalismo capaz, com suas habilidades, de orientar os stakeholders na implementação.
O termo empregos verdes surgiu na última década como um conceito que se refere a todas as profissões que tratam de aspectos relacionados à sustentabilidade com especial importância. Essas não são necessariamente novas profissões nascidas do progresso da sociedade. Mas também de profissões já existentes desenvolvidas de uma nova maneira. Colocar os aspectos da sustentabilidade em um papel central no planejamento das ações a serem realizadas.

Nesse sentido, a definição de empregos verdes do PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), órgão das Nações Unidas que trabalha contra as mudanças climáticas e a favor da proteção do meio ambiente e do uso sustentável dos recursos naturais. De acordo com o PNUMA, “empregos verdes são definidos como aquelas ocupações na agricultura, manufatura, pesquisa e desenvolvimento, administração e serviços que contribuem significativamente para preservar ou restaurar a qualidade ambiental”.

Entre essas novas profissões está a de consultor ambiental, da qual tentaremos traçar um perfil.

O que o consultor ambiental faz

O consultor ambiental é um técnico com competências específicas em questões ambientais que exerce atividades de gestão nos aspetos da proteção ambiental relacionados com um contexto económico específico.
O trabalho do consultor ambiental pode abordar vários aspectos. Depende então dos casos, em que aspectos individuais ou múltiplos o profissional vai querer focar a sua formação e actividade. 

Como o termo consultor também sugere, ele assessora e auxilia seu cliente na realização de atos, práticas ou projetos. Tudo isso fornecendo informações e opiniões ou implementando soluções por meio de suas próprias competências.

Como veremos, pode operar em um contexto multidisciplinar. Você também pode fazer isso como freelancer ou como funcionário.

Técnico de gestão de resíduos

No que diz respeito à gestão de resíduos, a consultoria ambiental assume a função do denominado Gestor de Resíduos. Valor que entre as suas principais atividades inclui a análise, acompanhamento e otimização dos custos de eliminação dos resíduos especiais da empresa.

Para além dos procedimentos e metodologias que visam a gestão de todo o processo de eliminação, trata também da gestão da documentação a produzir de forma a cumprir a legislação em vigor. Os consultores ambientais também podem realizar atividades de verificação, verificando se os procedimentos já estabelecidos dentro de uma empresa são realizados de forma compatível e, se necessário, implementar projetos para solucionar as não conformidades.
Em uma próxima etapa, o consultor ambiental pode se tornar um gerente técnico de gerenciamento de resíduos. Para fazer isso, no entanto, você deve ser aprovado em um exame na Câmara de Comércio baseado na categoria de gerenciamento de resíduos em que deseja trabalhar.

Auditor de sistemas de gestão ambiental

O consultor ambiental pode exercer a atividade de auditor dentro de uma empresa no que diz respeito ao sistema de gestão ambiental. É uma ferramenta voluntária aplicável a qualquer organização que busca a melhoria contínua de seu desempenho ambiental por meio do desenvolvimento e implementação de uma política ambiental interna.

Gerente de Risco Ambiental

Outra atividade que a figura da consultoria pode integrar é a do Gerente de Risco Ambiental. É o profissional que analisa e identifica as possíveis fragilidades ou falhas e os riscos a que a empresa pode estar exposta em termos de ambiente e segurança no trabalho, garantindo o cumprimento da Regulamentação. Além do conhecimento técnico-científico, é necessário conhecer perfeitamente todas as legislações do setor por meio de treinamentos contínuos.

Especialista em contabilidade verde

É uma espécie de contador verde. A vontade do governo de promover a conversão verde da economia, do ponto de vista legislativo, se materializou por meio da criação de incentivos fiscais. Nesse caso, o consultor ambiental deve conhecer todos os chamados títulos ecológicos e todos os incentivos e regras que permitem às empresas obtê-los. A segunda etapa será ajudar a organização a obter essas ferramentas.

Especialista em Direito Ambiental

O direito ambiental, ou seja, todas as leis estabelecidas para garantir a qualidade e a saúde do meio ambiente, é um ramo do direito em constante evolução. A jurisprudência referente à sustentabilidade ambiental é caracterizada por um número crescente de regulamentações, entre outras coisas em contínua renovação. O panorama tornou-se tão extenso e tão complexo de interpretar que é difícil aplicar corretamente o Regulamento.

Essa dificuldade é percebida na maioria das empresas, cujas atividades não podem ser desvinculadas de uma correta interpretação da legislação ambiental. É neste ponto que intervém a figura do Advogado Ambiental, de nascimento bastante recente. Ele é um especialista em direito ambiental que conhece perfeitamente a regulamentação do setor e assessora para atuar em total conformidade com a regulamentação.

Como se tornar um consultor ambiental

Não existe um caminho único para a obtenção do diploma e o início do exercício da profissão. No entanto, um título preferido é, sem dúvida, o de engenheiro ambiental. Na verdade, no grau relativo existem muitos exames que abordam os tópicos discutidos acima. Outra figura é a do químico. Muitas das tarefas do consultor ambiental são realmente facilitadas se os materiais e métodos de análise forem conhecidos.

Biologia e ciências naturais também são compatíveis com uma carreira na economia verde. A jurisdição em caso de rejeição da legislação ambiental pode ser muito útil para fornecer aconselhamento jurídico nesta área. As qualificações em economia e gestão podem ser tão úteis neste campo quanto em muitas outras profissões hoje.

As habilidades exigidas de um consultor ambiental conforme mencionado requerem uma certa multidisciplinaridade. Talvez no futuro haja cursos universitários mais específicos e o que hoje se entende como multidisciplinar, um dia será visto como algo vertical. No entanto, um título não é essencial.

Dado que ainda não existe uma qualificação ad hoc, o caminho para a profissão está aberto e intimamente ligado à formação contínua, personalizada de acordo com as aspirações de cada um. Talvez tentando interceptar as demandas do mercado. Vários cursos de formação profissional e mestrados têm sido criados com o objetivo de transmitir competências que permitam o desenvolvimento desta nova profissão. Aqui está o que você precisa saber sobre o que ele faz e como se tornar um consultor ambiental.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

O que é energia eólica e como funciona?

“Aquele com o vento, certo?” Sim, você está indo bem, mas queremos que tenha um pouco mais de clareza sobre o conceito antes de entrar nas vantagens e desvantagens da energia eólica .

Na verdade, a força do vento é o ingrediente secreto para gerar esse tipo de energia . Para isso, desde há muitos anos, as turbinas eólicas ou elétricas têm sido essenciais, que são aquelas grandes e modernas usinas que com certeza já se viu rodando em qualquer estrada secundária .

Essas grandes torres são totalmente informatizadas e com seu movimento convertem a energia do movimento (cinética) em energia elétrica. Eles são estabelecidos em locais onde muito vento é gerado e geralmente são agrupados no que é conhecido como parques eólicos . Atualmente um autogerador costuma ter 50 metros de altura e a intenção é que a cada vez ele tenha uma altura maior e, mesmo assim, pese menos .

Gostarão de saber que, embora pareça difícil de acreditar, estes também podem estar localizados no mar para aproveitar a força do vento que se produz na água . A energia eólica no mar tem, entre outras vantagens, o fato de já poderem ser instaladas hoje turbinas eólicas maiores e mais potentes do que as terrestres . Isso garante excelente energia eólica.

As características da energia eólica são muitas, mas destaca-se o facto de ser uma das mais antigas e, sobretudo, de ser 100% limpa . Este último é um dos motivos pelos quais na Gana Energía nos abastecemos, entre outros, com esta fonte de energia . 

E agora que você sabe o que é a energia eólica e como ela funciona, vamos analisar suas vantagens e desvantagens.

Veja mais: Vantagens e Desvantagens da Energia Eólica

Vantagens da energia eólica

As vantagens da energia eólica são muitas e é conveniente que as conheça para estar ciente da importância deste tipo de energia e porque é renovável . Já prevemos que tem muito mais benefícios do que desvantagens e que o impacto ambiental da energia eólica é quase zero .

É renovável e não acaba 

Ele vem, como mencionamos antes, de uma fonte natural como o vento. Portanto, uma de suas principais características é ser inesgotável. 

Seu transporte é ecológico 

Outros tipos de energia requerem o transporte de veículos ou grandes dutos. Este não é o caso da energia eólica que é despejada na rede elétrica de forma ambientalmente responsável .

Possui uma grande capacidade, importante para analisar vantagens e desvantagens da energia eólica 

A energia eólica ainda não ultrapassa 10% do consumido em Espanha , mas só com este tipo de energia é possível abastecer toda a população mundial porque é vasta. 

É muito barato, uma vantagem importante da energia eólica 

Seus custos são praticamente os parques eólicos e os processos que eles exigem. Portanto, outra vantagem da energia eólica é que ela é muito econômica.    

É completamente seguro 

Não pode haver acidentes com este tipo de energia como com a energia nuclear ou outros tipos de energia. Além disso, não gera resíduos tóxicos.

É natural em nosso país, outro benefício da energia eólica 

Isso não implica em nenhuma alteração do ambiente, sendo totalmente compatível com ele. Sem dúvida, uma vantagem da energia eólica a se considerar.

Essas são as principais vantagens da energia eólica, mas existem muitas mais, como a flexibilidade de sua produção ou a sua manutenção praticamente nula .

Sem dúvida, algumas aplicações da energia eólica que devem ser levadas em consideração, como o fato de que os benefícios sociais da energia eólica são tão importantes: redução da poluição e do efeito estufa.

Desvantagens da energia eólica mais importantes

Sim, embora muitas pessoas não saibam disso, as desvantagens da energia eólica são muito evidentes, assim como seus riscos . Claro, já antecipamos que as desvantagens da energia eólica não são comparáveis ​​com suas vantagens ou benefícios . Vamos lá:

Depende do clima 

Normalmente não há problemas de abastecimento, mas dependendo do vento pode ser menos, mais lento ou ir em uma direção que não é interessante.

Problemas com a flora 

Todos os anos, milhares de animais morrem como resultado da produção de energia eólica. Os morcegos são os mais atingidos.

Eles não são bons para os humanos 

Pode trazer problemas biológicos por ter muito contato com eles, mas não é um problema real porque eles nunca estão em um município e as pessoas que trabalham neles só os visitam muito pontualmente.

Configurar um parque eólico é caro 

É verdade que existem ajudas importantes, mas a instalação de um parque eólico não é económica e, portanto, nem qualquer pessoa pode pagar. Apesar de ser uma desvantagem da energia eólica, ainda é mais barata do que a maioria das fontes naturais. Este ponto, portanto, pode ser tanto uma vantagem quanto uma desvantagem da energia eólica.

Você já sabe quais são as principais vantagens e desvantagens da energia eólica? Com certeza sim! Esperamos que o artigo tenha sido útil para você e que você já seja um verdadeiro especialista no assunto capaz de compartilhar com seus amigos as curiosidades da energia eólica e seus prós e contras.

Benefícios de fazer inventário em sua empresa

Quando você está começando um negócio, você investe na compra dos produtos que vai vender, a princípio você sabe tudo que comprou para manter um bom estoque, mas com o passar dos meses você negligencia o estoque e é um erro que a maioria se compromete. É necessário que você acompanhe seus estoques para não ter preguiça, se deixa o tempo passar e não sabe por onde começar, continue lendo para saber os benefícios que pode ter ao acompanhar seus estoques.

Um estoque com uma boa gestão permite saber o valor real do seu investimento, se você é uma daquelas pessoas que quer crescer, uma boa gestão é fundamental para ter o fluxo de caixa de que precisa para se alavancar ou vai à falência.

O inventário

O conceito de estoque em uma empresa é baseado em todos os produtos e / ou matérias-primas que você tem para venda futura. O estoque é composto por todo o estoque do negócio que não foi vendido, a matéria-prima que você possui (criar novos produtos) e todos os produtos que estão em processo de produção e que em breve estarão disponíveis para venda.

É muito importante que você controle todos os itens que existem em seu estoque com um inventário, esta informação permite que você conheça a situação real para tomar decisões administrativas que sempre se refletirão em um bom atendimento ao cliente.

Com as informações corretas sobre seu estoque, você sempre terá as seguintes vantagens :

  • Saiba quando menos ou mais de certos produtos são vendidos para que você esteja preparado.
  • Comprar em quantidades maiores diminui o preço de cada produto.
  • Realize promoções de produtos que estejam vencidos ou em deterioração para movimentá-los.
  • Você sabe qual produto mais movimenta em determinado período e antecipa a compra para que continue a vender e tenha a aceitação de seus clientes.
  • Você tem estoque no balanço patrimonial e na demonstração do resultado.

Tipos de Inventários

Os tipos de estoques que você pode usar em seu negócio dependem de suas necessidades atuais, os cinco principais são:

  1. Inventário perpétuo : Você deve registrar as operações de todos os produtos de forma que possa saber a qualquer momento o valor de seu estoque final, o custo do que você vendeu e o lucro ou prejuízo bruto. Ajuda você a ter um controle maior, por estar sempre atualizado os cadastros no estoque.
  2. Inventário intermitente: você pode fazer isso várias vezes por ano e pode usá-lo por vários motivos.
  3. Inventário Inicial: Como o próprio nome indica, é realizado no início de sua operação
  4. Estoque final: você faz isso no final do seu ano fiscal
  5. Inventário Físico: É o inventário onde você tem que contar, pesar (se for o caso), mantendo suas anotações sobre cada um dos diferentes produtos que você tem em estoque no dia em que o fizer.

Como economizar dinheiro fazendo um inventário correto.

Gerenciando bem seu estoque, você pode economizar muito dinheiro:

  • Evite perdas : Produtos que estão em seu estoque há muito tempo porque não se moviam no momento em que foi decidido colocá-los à venda (antiquados ou não tem o interesse que você esperava) por conhecê-los você pode evitar perdas e mova o produto o mais rápido possível.
  • Economize nos custos de armazenamento : Você não deve armazenar seus produtos por muito tempo, o custo destes pode variar em extremos ou você acumula produtos que não têm a saída esperada aumenta seus custos de armazenamento.
  • Evite a deterioração dos produtos : Gerenciar bem seus estoques ajuda a evitar a deterioração dos produtos ou perdas desnecessárias, por exemplo, se você vender produtos com datas de validade (alimentos, cremes) se eles não saírem do estoque no prazo eles ficarão e significa uma perda que você não poderá recuperar.
  • Gerenciar Fluxo de Caixa : Uma boa gestão do seu estoque vai te ajudar a melhorar o fluxo de caixa, você deve retirar o produto para que possa ser vendido senão você não vai gerar renda, você pagou à vista, é hora de reaver. Você não poderá pagar seus fornecedores por produtos que não são vendidos.

Saber o valor do seu estoque ajuda a tomar decisões na hora de comprar os produtos que você precisa, adquirir a quantidade correta é um bom planejamento para não ter problemas na hora de vender os produtos e ter dinheiro para voltar a investir.

Como realizar o controle de estoque.

Você pode se ajudar com um Sistema de Ponto de Venda, que te ajuda a classificar seus produtos por categorias, se os produtos tiverem código de barras não os altere, usá-los te ajuda a ser mais ágil, você só precisa de um leitor de código de barras para ser mais rápido e reduzir o tempo de espera de seus clientes. Manter o controle de estoque ajuda a ter contabilidade disponível, isso envolve dois aspectos importantes:

  • O custo do estoque adquirido.
  • O custo do estoque é mantido em suas contas comerciais até que seja vendido.

A avaliação dos estoques é realizada de acordo com uma base específica em termos monetários, estes 4 métodos são comumente usados ​​em negócios ou empresas:

  • Identificação específica : É utilizada em negócios onde se encontram os mesmos produtos ou artigos com características individuais (referência, número, marca e custo). É utilizado para manter registros para identificar com precisão os produtos e seus custos exatos, estes são identificados por meio de uma compra e sua fatura. Você pode determinar o custo específico das vendas e avaliar o estoque final com o custo específico dos produtos.
  • Primeiras entradas primeiras saídas (PEPS) : Uma das mais utilizadas em uma loja, quando você compra produtos e eles são os primeiros a entrar no estoque, são os primeiros a serem vendidos (custo das vendas) ou consumidos (custo de produção). Para produtos que possuem validade é muito importante levar em consideração o acima, este método se aplica a todos os seus produtos, caso contrário eles se desgastarão, pode haver alguma alteração na apresentação do produto e então você não conseguirá vender eles. O estoque final é formado pelos últimos itens que passaram a fazer parte do estoque.
  • Último a entrar, primeiro a sair (UEPS) : O método UEPS para calcular o custo do estoque é o oposto do método PEPS. Os últimos produtos que você comprou são os primeiros a serem vendidos ou consumidos, o objetivo é que no estoque final você tenha os produtos que foram comprados primeiro. Este é um método muito útil quando os preços dos produtos estão constantemente aumentando. A aplicação financeira desse método implica um valor mais alto do custo de venda porque você determina, com base nos últimos produtos adquiridos, que eles geralmente são mais caros.
  • Custo Médio : ao utilizar este método, faz a média dos custos dos produtos com as movimentações de armazém realizadas. É usado quando você tem estoque negativo em seu armazém, quando você detecta estoque negativo, você deve pegar o último custo correto em vez de realizar o cálculo para que o custo não suba rapidamente. Isso pode ser calculado da seguinte forma: = [(Estoque x Custo Médio Atual) (Quantidade que entra ou sai x Custo Unitário)] / Estoque +/- Quantidade que entra ou sai.

Você pode fazer o inventário de várias maneiras:

  • Manual : Em um caderno (que você vai se confundir e abortar) ou em uma planilha
  • Sistema : Com um Sistema de Ponto de Venda ou Software de Ponto de Venda ajuda você a realizar esta tarefa, de forma simples, prática e ágil e ajuda a prevenir o famoso roubo de formigas que causa forte impacto em seus lucros.

Qualquer que seja o método que você escolher, você deve fazê-lo periodicamente e ter estratégias para o sucesso e crescimento do seu negócio.

Benefícios de fazer um inventário

Aqui estão algumas técnicas que podem ajudá-lo a ter um melhor fluxo de caixa em sua empresa e um melhor controle de seus estoques:

  • Planejamento de contingência

Você deve fazer um plano de contingência para os riscos que possa ter, esses problemas podem paralisar uma empresa por não estar preparada. Por exemplo:

  1. Você fica sem produto devido ao aumento das vendas.
    1. Falta de espaço em seu estoque para colocar os produtos mais vendidos.
    1. Produtos que não se movem rapidamente e ocupam espaço no seu armazém.
    1. Você não tem fluxo de caixa e não pode pagar pelo produto de que precisa.
    1. Cálculo de estoque ruim (menos produtos).

Você está realmente preparado para esta situação. O que vai fazer? Como você resolverá o problema? Como isso afetará os negócios? Descubra onde estão os riscos e aplique-se para executá-los.

  • Comunicação com seus fornecedores

Ter um bom relacionamento com seus fornecedores pode ser uma dor de cabeça, mas pode te ajudar em situações complicadas, você deve manter um bom relacionamento isso pode te ajudar a gerenciar seu estoque, não compre se não precisar ou solicite o mínimo de a compra mínima e avise-o quando precisar de uma recarga.

  • Priorize seus produtos

Você deve ter prioridade para o gerenciamento do seu estoque, você deve separar os produtos com maior giro, por exemplo:

  1. Produtos de alto valor e baixo custo : exigem muita atenção, são vendas imprevisíveis
    1. Produtos de médio valor com venda moderada : Estão aí, não se deve descuidar deles, são produtos que vende sempre
    1. Produtos de baixo valor e alta venda : eles não precisam de atenção extra, estão sempre vendendo.
  • Previsões em demanda

Grande parte da boa gestão de estoque é planejar e prever a demanda esperada, isso evitará o aumento do custo de sua operação. Você deve manter um registro da rotação dos produtos sazonais e poder fazer uma previsão mais precisa, a realidade é que você não sabe o que são e quais devem ser considerados. Analise os seguintes pontos para que você possa fazer uma projeção precisa de suas vendas:

  1. Vendas realizadas no ano passado na mesma semana
    1. Próximas promoções
    1. Tendências de mercado

Se você puder pensar em algo adicional para fazer uma previsão mais precisa, inclua-o.

  • Auditoria

Um sistema de ponto de venda pode te ajudar a saber a quantidade de produtos que você tem em estoque, independente do exposto é necessário que você faça um inventário físico para comparar os resultados que tem no sistema com o real.

Existem vários métodos para fazer isso:

  1. Inventário físico: Normalmente são realizados uma vez por ano e é no final do ano que os negócios o fazem, é muito demorado, cansa e pode afetar o funcionamento do negócio, mas são necessários.
    1. Ponto de verificação: Você deve escolher um produto, contar sua existência em seu estoque e fazer uma comparação com o que deveria ser. É um complemento ao inventário físico.
    1. Ciclo de contagem: Realiza-se ao longo do ano, podendo ser diário, semanal ou mensal, geralmente os produtos de maior valor são selecionados para uma contagem mais frequente.

Quando você deve fazer isso?

É fundamental destacar a periodicidade com que você realiza seu inventário. Não existe uma regra definida que diga com que frequência é melhor. Embora seja verdade que as empresas são obrigadas a fazer inventários uma vez por ano, geralmente no final do ano e para poderem avaliar as ações da empresa, sejamos honestos, não é a melhor das alternativas.

Aconselhamos que faça o inventário pelo menos uma vez por ano, a maioria das empresas aproveita o final do ano para fazer para fechar um exercício e contabilizar o seu patrimônio.

Dependendo do porte do negócio, você pode programá-lo para um dia em que provavelmente terá que interromper suas atividades diárias ou para um fim de semana, outra opção é realizar um inventário cíclico. Para que você tenha melhores resultados, é necessário ter uma ferramenta que o ajude a fazer isso facilmente como um Sistema de Ponto de Venda, para realizar as melhores práticas.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.